Corpo mudo

by zlupus30

Molho de chaves, objetos digitais,

cartões, imagens, telefones,

veículos, emails e jornais:

é o lufa-lufa falante dos dias atuais.

Neste charivari, leio muitas frases,

poucas delas são normais.

Silenciei. Emudeci.

Minhas vozes secretas

não são verbais.

Borbulho em despudorados desejos.

Silencio-me em limites e medos.

Entrevejo um corpo nu

na amálgama das redes sociais.

Zapeio na Internet,

desejo as bandidagens

e o barulho das orgias impublicáveis.

Anseios banais? Não!

Reflexo de minhas confissões carnais.

Que faço eu, corpo mudo,

nos sistemas informacionais?

Abuso dos signos virtuais?

Uno-me às imagens digitais?

Ou, entrego-me

aos mutismos corporais?

Advertisements