Cão sem dono

by zlupus30

Passeava na rua onde moro,

vi um cão sem dono

roendo um velho osso.

As moscas o acariciavam,

algumas pessoas sequer olhavam.

Foi neste momento

que meditei um pouco:

A vida como cão de rua,

com o tempo vergou

meus ossos:

nela tive prazeres,

nela tive desgostos.

Na vida, às vezes, trataram-me

feito cão sem dono,

fui jogado às traças,

enxotado das ‘praças’,

perdi dias de sono.

Como cão sem dono,

fui expulso aqui e ali,

até os parentes

me chamaram de “problema” –

não queriam

ouvir meus dilemas.

Mas a vida não foi

de todo injusta,

encheu-me de perdão:

coisa aprendida

por qualquer puta,

coisa aprendida

por qualquer cão.

Advertisements